Bairro Pompéu

No fundo de um vale, às margens da Estrada Real, o pequeno vilarejo guarda um clima ameno, uma natureza exuberante e uma culinária deliciosa. Em 1997, deu-se início a um evento gastronômico, a partir de uma folha muito encontrada na região, o ora-pro-nobis, que é acompanhado normalmente de costelinha, frango ou marreco, uma verdadeira jóia da comida mineira.

Com mais de 14 mil hectares de área preservada e várias nascentes de água cristalina, a vegetação densa esconde trilhas e ruínas da Estrada Real e o mar de montanhas revela a grande beleza natural da região, própria para a prática de caminhadas, escaladas, passeios de bicicleta e a cavalo.

 

Capela de Santo Antonio – Foi erguida no antigo arraial, fundado por Antonio de Pompéu, antes de 1731. Possui altar-mor da primeira fase do Barroco Mineiro, semelhante ao da Capela do Ó e a alguns dos altares laterais da igreja da Matriz, residindo aí o grande contraste com a simplicidade. O adro é cercado por um muro baixo de pedra e contém em sua parte externa, o cemitério e sineira com suporte de madeira. A capela-mor tem o forro em painéis, com pinturas relativas aos milagres de Santo Antônio, nos anos de 1227. A visitação deve ser agendada.

 

 

 

Arraial Velho de Sant’Ana

Pequeno vilarejo às margens da Estrada Real conserva um ambiente tipicamente interiorano e pitoresco. A singular capelinha de Sant’ana, a Fazenda dos Cristais, as ruínas e muros em pedra caracterizam o antigo arraial, um dos primeiros a se formar em Sabará. A região também possui trilhas e algumas cachoeiras (de propriedade particular) que podem ser visitadas a partir de contato prévio. Pela manhã ou no fim de tarde, através de agendamento, o visitante pode degustar um delicioso “Café Colonial” e sentir a boa receptividade da comunidade.

 

Capela de Sant’Ana: Situada no Arraial Velho, datação provável de 1747. Possui altar-mor no estilo da segunda fase do Barroco em Minas. Possui revestimento interno em pedra de canga à vista. Manuel de Borba Gato foi o primeiro a encontrar ouro nas margens do rio das Velhas e manteve, por muitos anos, lavra no Arraial Velho de Sant'Ana. No adro, o sino traz a inscrição 1759. Na parte interna o retábulo tem talha no estilo D.João V. Predominam os tons claros. O coroamento do retábulo é em dossel, com figuras de anjos, distinguindo-se interessante configuração da Santíssima Trindade (figuras do Pai, do Filho e a do Espírito Santo), sem haver contato entre as três figuras. A visitação deve ser agendada

 

 

Arte e Artesanato

Em Sabará, em meio a tantas riquezas singulares, destacam-se, pela exclusividade e pela tradição, a Palma Barroca e a Renda Turca de Bicos, cujo registro, como Bem Imaterial, ajuda a resgatar e preservar a cultura local.

Artistas locais confeccionam santos, anjos e oratórios, remetendo à arte barroca, própria de Minas Gerais, com seus traços apurados e inspirados no rebuscado estilo artístico que relembra o século XVIII.

Atualmente, esses trabalhos são expostos em algumas casas de artesanato. Ademais, seja no Centro Histórico ou na região de Ravena, os artistas, em seus ateliês de pintura e pelas ruas da cidade, registram o presente e resgatam o passado de uma região rica em arte e cultura. Lojas e ateliês podem ser conferidos no “Guia de Serviços”.

 

 

Capela de Nossa Senhora do Ó (Largo N.S. do Ó)

Datada de 1717, é considerada uma das mais ricas representações do barroco em Minas. De fachada singela, seu interior chama a atenção pela riqueza da talha, da primeira fase do barroco, estilo Nacional Português. Apresenta influência chinesa na arquitetura e na decoração interna. O culto celebrado ao som das antífonas precedidas da expressão “’Ó...”, originou a devoção a Nossa Senhora do Ó.

 

Funcionamento: Diário, das 08h às 17h.

Fechamento para almoço das 12h às 13h.

Taxa de visitação: R$2,00.

 

 

Casa da Ópera – Teatro Municipal (Rua Dom Pedro II)

É o segundo teatro mais antigo do Brasil, em funcionamento. Tem em suas linhas arquitetônicas a influência dos teatros ingleses do reinado de Elizabeth I, por isso é conhecido também como Teatro Elizabetano. O primeiro prédio foi construído antes de 1771 e funcionou até por volta de 1783. A segunda Casa da Ópera foi inaugurada em 02 de junho de 1819, durante as festas do nascimento da “Princesa da Beira”, Dona Maria da Glória, de Portugal. Nele, atuaram as grandes companhias artísticas da época. A Casa recebeu as visitas dos imperadores Dom Pedro I (1831) e Dom Pedro II (1881). Sua arquitetura interna tem influência italiana, com disposição dos camarotes em três galerias. Possui excelente acústica e encontra-se em plena atividade cultural.

 

Funcionamento: Diário, das 08h às 17h.

Fechamento para almoço das 11h às 12h.

Taxa de visitação: Isento.

 

 

 

Casa de Câmara e Cadeia (Rua da República)

Trata-se do segundo prédio da antiga Câmara e Cadeia, que funcionou de 1892 a 1924. A primeira casa foi demolida no final do século XIX e o prédio atual mantém as características arquitetônicas básicas. O belíssimo e amplo salão na parte superior abriga hoje o acervo da Biblioteca Pública Municipal.

Funcionamento: Segunda a sexta, das 08h às 17h.

Não fecha para almoço.

Taxa de visitação: Isento.

 

 

Centro Histórico

Sabará possui, hoje, alguns trechos históricos preservados, especialmente no centro da cidade, na Rua Pedro II, antiga Rua Direita, onde ainda encontramos alguns casarões especialmente do século XIX. Possui também um dos mais notáveis acervos de igrejas setecentistas de Minas e vários antigos chafarizes.

 

 

Chafariz do Kaquende (Rua Kaquende)

De uma nascente do Morro de São Francisco vem a água límpida que abastece o mais famoso chafariz de Sabará, que desde 1757 abastece a cidade. Seus construtores foram João Duarte e José de Souza. Possui fachada com vestígios das armas portuguesas, arrancadas do monumento por ocasião da independência. Não se sabe ao certo a origem da palavra Kaquende, se seria portuguesa, africana ou indígena. Em língua tupi-guarani significaria “água cristalina que dali brota” e em língua africana, “jovem forte e valoroso”. Reza a tradição que aquele que bebe de sua água sempre volta a Sabará. Até hoje, a fonte mata a sede da comunidade e visitantes que por ela passam.

Funcionamento: Aberto ao público 24h.

 

 

Conjunto arquitetônico da Rua Dom Pedro II

A antiga Rua Direita, mais importante artéria da Vila do Sabará, possui um conjunto arquitetônico tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Destacam-se entre as edificações, o Solar do Padre Correia, a Casa Azul, o Sobrado de Dona Sofia e a Casa da Ópera (Teatro Municipal).

 

 

Distâncias – Principais capitais e localidades

Belo Horizonte: 23 km

Caeté: 26 km

Aeroporto da Pampulha: 30 km

Aeroporto Internacional de Confins: 64 km

Santa Bárbara: 57 km

Congonhas: 90 km

Ouro Preto: 120 km

Mariana: 130 km

Rio de Janeiro: 467 km

São Paulo: 601 km

Brasília: 764 km

Salvador: 1.391 km

 

 

Distrito de Ravena

Arraial da Lapa era a denominação primitiva do povoado, designado também por Arraial de Nossa Senhora da Lapa. Não se tem documentação precisa acerca de suas origens, mas sabe-se que, em 1738, já possuía Companhia de Ordenança (guarda oficial da vila), nomeada pela Câmara de Sabará. Foi elevado à Paróquia em 1855, com título de Nossa Senhora da Assunção. Em 1943, teve seu nome alterado para Ravena, em homenagem ao Frei Luiz de Ravena.

Atualmente, o Arraial de Ravena possui um ambiente tranqüilo, tipicamente rural. A produção da banana e seus derivados movimentam parte da economia local. O artesanato feito da palha da bananeira também é uma tradição no vilarejo.

 

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Assunção: A Capela de N.Sra. da Lapa, também com data de construção incerta, possui registro de batismo de 1727. A matriz de Ravena é depositária de inestimável tesouro barroco. O prédio é da primeira metade do século XVIII. Passou por várias modificações até chegar à configuração atual. A decoração interna não foi concluída, mas apresenta algumas preciosidades. Por volta de 1855, foi elevada à condição de Matriz, sob a invocação de Nossa Senhora da Lapa, passando a ser chamada de Igreja Matriz de Nossa Senhora da Assunção. A visitação deve ser agendada.

 

Capela de Nossa Senhora do Rosário: A fachada desta capela, com uma torre central, lembra muito a igreja de N.Sra. do ó. Não existem documentos que comprovem a data de sua construção. Supõe-se que tenha ocorrido após 1839. Apresenta características do Rococó. A tradição oral de Ravena diz que a capela substituiu uma antiga, dedicada a São Francisco. Se for verdade é possível que a data 1813, na fachada da capela, seja alusiva à primitiva construção. A visitação deve ser agendada.

 

 

Ecoturismo

Em Sabará, o ecoturismo é um novo segmento que pode ser praticado principalmente no Arraial Velho e no Pompéu, pequenos vilarejos às margens da Estrada Real. Nessas regiões, o visitante tem contato singular com o ambiente natural. Lá, muitos esportistas já praticam caminhadas na natureza, trekking, mountain bike e boulder (um tipo de escalada em rocha). Passeios a cavalo também podem ser realizados em determinadas áreas. Outras boas opções para quem se interessa pelo turismo em áreas naturais são: o Parque Natural Municipal Chácara do Lessa, o Parque Eco pedagógico Quinta dos Cristais e o Bosque Alfredo Machado. O Hotel Fazenda Recanto dos Fonda é uma boa alternativa para quem prefere o turismo rural. Além de conduzir o ser humano a uma vida mais saudável, o ecoturismo propicia um maior contato do homem com o meio natural, incentivando a preservação dos recursos naturais e a valorização da vida.

 

Parque Eco pedagógico Quinta dos Cristais (Turismo educacional, bairro Adelmolândia): O Parque possui uma grande área verde, situada na porção sul da cidade, na estrada para Olaria no bairro Adelmolândia. Possui ainda diversas atrações como o Museu Temático da Escravidão, Museu de Antiguidades, Museu da Nanoescultura, trilhas, belas vistas panorâmicas da região, nascentes e riachos. As atividades educativas e as visitas monitoradas tanto em fins de semana quanto de segunda a sexta devem ser previamente agendadas. O Parque possui o Restaurante Rancho do Tropeiro, com self service de comida mineira e está aberto ao público em geral aos fins de semana e feriados, das 11 às 19 horas. A visitação ao parque é gratuita e se dá partir das 08 horas. Informações: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. / (31) 3671-3241 / (31) 9970-1854.

 

 

Parque Natural Municipal Chácara do Lessa (Rua Arthur Lima Júnior, s/nº - Terra Santa): A poucos metros do centro histórico, o visitante pode contemplar a natureza, visitar ruínas e minas remanescentes do século XVIII e XIX. No mirante, está disponível uma belíssima vista panorâmica da região. Oferece opções para trilhas interpretativas e pequenas caminhadas. O parque está aberto de terça a domingo, das 08 às 16 horas e a entrada é gratuita. Informações: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. / (31) 3671-2282 / (31) 3672-7694.

 

Bosque Alfredo Machado (Av. Serafim Mota Barros s/n – Centro): Localizado no centro histórico, possui área verde, viveiro de mudas, cascata, pequenas trilhas, área de descanso e pista para caminhada. Também sedia atualmente a Secretaria Municipal de Meio Ambiente. O parque está aberto de terça a domingo, das 08 às 16 horas e a entrada é gratuita.

Informações: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. / (31) 3672-7694.

 

 

 

Gastronomia e Culinária

Mesmo com os dissabores da escravidão, a presença africana deixou em Sabará deliciosas heranças culinárias. Para reforçar a alimentação dada pelos “senhores”, as escravas buscavam na vasta vegetação nativa, ingredientes que incrementassem as refeições. Assim, surgiram as receitas com ora-pro-nobis e umbigo de banana.

Além disso, a abundância da jabuticaba na região, também inspirou misturas em licores, vinhos e geléias. O Festival do Ora-pro-nobis, realizado geralmente no mês de maio, no Arraial de Pompéu e o Festival da Jabuticaba, realizado em novembro, no centro histórico, atraem visitantes de todo o Brasil em busca de uma culinária tipicamente mineira. Já as delícias preparadas a partir da banana e seus derivados, são elaborados no distrito de Ravena, a alguns quilômetros de centro da cidade.

Tudo isto e muito mais pode ser apreciado nos restaurantes tanto do centro histórico quanto nos bairros de Pompéu, Arraial Velho, Roça Grande e Ravena

 

 

Histórico

A história de Sabará tem suas raízes nos primórdios da colonização do Brasil e está intimamente relacionada à lenda do Sabarabuçu. Região de limites imprecisos, o Sabarabuçu atraiu inúmeros aventureiros para seu sertão. A busca dos sertanistas era pela riqueza das serras: prata e pedras preciosas.

Em 1674, chegou à região a bandeira de Fernão Dias Paes, dando início ao que se tornaria o mais importante arraial fundado pelo bandeirante paulista.

O Arraial da Barra do Sabará, centro comercial estratégico diretamente ligado à Estrada Real, já por volta de 1700, possuía intensa movimentação, sendo um dos mais populosos das Minas. Em 1711, foi elevado à condição de Vila Real de Nossa Senhora da Conceição do Sabará. Três anos depois, tornou-se sede da extensa Comarca do Rio das Velhas, cuja jurisdição alcançava os limites de Goiás, Pernambuco e Bahia.

O fastio de ouro fez a Coroa Portuguesa instalar as Casas de Fundição, a fim de serem cobrados os impostos sobre a produção aurífera. Contudo, terminado o Ciclo do Ouro, Sabará manteve uma relativa atividade comercial até boa parte do século XIX e, ainda hoje, o ouro é explorado no município. A chegada da Ferrovia Central do Brasil à Sabará inaugurou o Ciclo do Ferro, que também persiste até os dias atuais.

Muitos resquícios do período colonial provavelmente ainda esperam por serem descobertos. Só em Sabará, são 24 quilômetros de estradas e trilhas dentro da extensão da Estrada Real, nelas, 55 marcos indicam o caminho oficial: vindo de Raposos, passando pelo Arraial Velho, pelo centro histórico e seguindo pelo bairro de Pompéu até a Serra da Piedade, em Caeté. Ao longo do trecho, encontram-se vestígios das primeiras atividades na região, como muros e ruínas em pedra, antigas minas de ouro, casario e fazendas da época, relacionadas à intensa exploração aurífera nos séculos XVIII e XIX.

No Centro Histórico está localizada a maioria dos atrativos históricos e arquitetônicos: igrejas do século XVIII, o Teatro Municipal, o Museu do Ouro, chafarizes e o casario de arquitetura colonial. Há igrejas em Sabará que mesclam características artísticas de diferentes fases do barroco mineiro. A Matriz de Nossa Senhora da Conceição apresenta características de três períodos da Arte Barroca, fato raro nas cidades históricas de Minas Gerais.

Além das características históricas, integram a paisagem, com rara beleza, vasta natureza e muitas montanhas.

 

 

Hospedagem

Hotel Solar Corte Real

Endereço: Rua São Francisco, 345, centro. Sabará – MG.

Telefone: (31) 3671-3040.

Site: www.solarcortereal.com.br

Reservas: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Fonda Hotel Fazenda

Endereço: Rodovia 381, Km 32,5, Distrito de Ravena. Sabará – MG.

Telefone: (31) 2105-9661.

Site: www.recantodosfonda.com.br

Reservas: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Pousada Villa Real

Endereço: Av. Prefeito Serafim Motta Barros, 76, Centro. Sabará – MG.

Telefone: (31) 3671-2121.

Site: http://pousadavillareal.net

Reservas: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

 

 

 

Pousada Sant’ana

Endereço: Rua Antônio Avendanha, 137, Distrito Arraial Velho. Sabará – MG.

Telefone: (31) 3671-5050 / 3671-5599

Site: www.pousadasantana.tur.br

Reservas: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Pousada Solar dos Sepúlveda

Endereço: Rua da Intendência, 371, Centro. Sabará – MG.

Telefone: (31) 3671-2705.

Site: http://www.solarsepulveda.blogspot.com.br

Reservas: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

 

Igreja de São Francisco (Largo do São Francisco)

Templo de 1781, pertencente à Arquiconfraria do Cordão de São Francisco dos Homens Pardos. Erigida em louvor à padroeira dos franciscanos, Nossa Senhora Rainha dos Anjos, cuja imagem se encontra no altar-mor. Antes de sua construção existia no local uma “tosca” capelinha em madeira dedicada à N.Sra. Rainha dos Anjos, da qual São Francisco era devoto. Sua construção, feita em alvenaria de pedra, data do final do séc. XVIII e início do XIX. Em seu interior o piso e o teto são forrados de tábuas, onde ostenta uma pintura de Nossa Senhora com os anjos e os quatro evangelistas, além de peças imaginárias como o Senhor Morto, São Francisco de Assis, a Senhora Rainha dos Anjos, além dos Santos de Roca na sacristia. Única na cidade com sala-consistório, sacristia na parte posterior, tribuna na capela-mór e púlpitos no arco-cruzeiro, além da maior altura interna na nave.

 

Funcionamento: Diário, das 09h às 17h.

Fechamento para almoço das 11h às 13h.

Taxa de visitação: R$2,00.

 

 

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição (Praça Getúlio Vargas)

Inaugurada em 1710, possui uma das mais exuberantes talhas da arte barroca mineira, sendo considerada uma das mais ricas matrizes do século XVIII. A igreja apresenta três naves, o que a diferencia das demais matrizes mineiras. Possui ainda os altares laterais, púlpitos de fina elaboração, pinturas de qualidade e influência oriental. A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição de Sabará é uma das mais antigas igrejas do estado de Minas Gerais, rivalizando em antiguidade com a matriz de Raposos e a Sé de Mariana. Está situada na parte baixa da cidade, ou seja, na autêntica parte velha que hoje na realidade, tem aspecto mais novo do que a região central de Sabará. É popularmente chamada de igreja nova ou grande, tradição que vem desde a época da sua construção em substituição a capela primitiva existente no mesmo local. Sua construção está ligada ao esforço do padre José de Queirós Coimbra que foi seu vigário por mais de meio século.

 

Funcionamento: Diário, das 08h às 17h.

Fechamento para almoço das 12h às 13h.

Taxa de visitação: R$2,00.

 

 

Igreja Nossa Senhora do Carmo (Rua do Carmo)

Construção de 1763, administrada pela Ordem Terceira do Carmo (Ordem dos Homens Brancos), a igreja é um dos palcos mais espetaculares da arte e da genialidade de Antônio Francisco Lisboa, o Mestre Aleijadinho, ao lado de outros artistas como Francisco Vieira Servas, Joaquim Gonçalves da Rocha e Thiago Moreira. Templo característico da terceira fase do barroco mineiro e do estilo Rococó, tombada pelo IPHAN, merecendo destaque o conjunto do Coro, a grade de Jacarandá torneado e a fachada.

 

Funcionamento: Diário, das 09h às 17h.

Fechamento para almoço das 11h às 13h.

Taxa de visitação: R$2,00.

 

 

Igreja Nossa Senhora do Rosário (Praça Melo Viana)

Construção iniciada em 1768 pela Irmandade dos Homens Pretos da Barra do Sabará, revela a fé e força do negro africano. Os escravos decidiram construir sua própria igreja, mas a decadência das minas de ouro não permitiu que fosse concluída. A obra, iniciada em 1768, foi abandonada com a abolição da escravatura, em 1888. Trata-se de um importante testemunho dos métodos construtivos da época. Sua arquitetura apresenta detalhes das três etapas distintas de sua construção. Possui, em uma das sacristias, o Museu de Arte Sacra com peças dos séculos XVII e XVIII. Quem vê as ruínas da igreja não imagina o que há escondido por trás das grandes paredes de pedra sem reboco, a céu aberto. A muralha, porém, protege uma antiga capela de taipa, de 1713. Na sacristia funciona o Museu de Arte Sacra, com imagens e crucifixos dos séculos 18 e 19.

 

Funcionamento: Diário, das 09h às 17h.

Fechamento para almoço das 11h às 13h.

Taxa de visitação: R$2,00.

 

 

Informações Turísticas

CAT – Centro de Atendimento ao Turista

Av. Expedicionário Romeu Jerônimo Dantas, s/nº, Caieira, Sabará – MG.

Funcionamento diário, das 08h às 17h.

Telefone: (31) 3671-1403

 

Guias de Turismo: Consulte o CAT – Centro de Atendimento ao Turista.

 

 

Lojas de Artesanato - Associações

As Arts

Rua Borba Gato, 03, Centro Histórico, Sabará – MG.

Telefone: (31) 3671-2696.

 

Cooperartes

Rua Mestre Arcanjo, 129 B, Centro Histórico, Sabará – MG.

Telefone: (31) 3671-3020 / 3671-4694.

 

Sabará Feito à Mão

Rua Borba Gato, 13, Centro Histórico, Sabará – MG.

Telefone: (31) 3671-4129.

 

 

Manifestações Culturais

A fusão secular das etnias negra, branca e indígena moldou em Sabará uma identidade cultural extremamente rica, com tradições preservadas pelas manifestações populares e cultos que ainda povoam as ruas e templos da cidade. Dentre eles, destacam-se: a folia de reis, a abertura do santo sepulcro na semana santa, a confecção dos tapetes artesanais na festa de corpus christi, o encontro das bandas de música no coreto da praça Santa Rita, os congados, as guardas de marujos, os grupos de capoeira, as quadrilhas nas festividades juninas, o carnaval dos blocos caricatos, os “contadores de causos”, os grupos de seresta, os corais, entre outros. Estas manifestações materializam a relação dos diversos grupos com a história da cidade de Sabará. A maioria das tradições locais está preservada e podem ser contempladas, principalmente, por ocasião dos eventos mais tradicionais da cidade.

 

 

Museu do Ouro (Rua da Intendência)

O prédio do museu é um autêntico exemplar da rude arquitetura colonial brasileira do século XVIII (1713). Foi a Antiga Casa de Intendência e Fundição (única construção com estas características ainda de pé no Brasil), tendo funcionado durante algum tempo como colégio. Possui exposição permanente de peças do mobiliário e arte sacra no pavimento superior, que serviu de residência para o Intendente. O térreo é calçado com pedras redondas e guarda peças relacionadas à extração, processo de fundição, cunhagem e controle do ouro. O Intendente era um funcionário a serviço do rei, com a difícil função de combater o contrabando e recolher os pesados impostos. Todo o processo desenvolvido na Casa de Fundição dá uma dimensão do que foi o Ciclo do Ouro em Minas. A abundância do metal amarelo facilitava a infração às rígidas normas. O ouro só podia ser comercializado em barras, cunhado com o selo real na Casa de Fundição, que aproveitava para recolher os impostos. Transformado em museu, atualmente é administrado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e possui arquivo histórico instalado no sobrado denominado Casa Borba Gato.

 

Funcionamento: De terça a domingo, das 10h às 17h.

Não fecha para almoço.

Taxa de visitação: R$1,00.

 

 

Restaurantes

- Centro Histórico

 

Restaurante Bar Ôco I – (31) 3671-1761

Rua Mestre Ritinha, 115, Centro Histórico, Sabará – MG.

 

Restaurante Bar Ôco II – (31) 3671-4696

Praça Santa Rita, 14, Centro Histórico, Sabará – MG.

 

Restaurante Pizzaria 314 e Sabarabuçu – (31) 3671-2313

Rua Dom Pedro II, 279, Centro Histórico, Sabará – MG.

 

Santíssimo Bar – (31) 3671-2147

Praça Mello Viana, 34. Centro Histórico, Sabará – MG.

 

Nihon Temakeria & Sushi Bar – (31) 3245-2404 / 8667-0688

Rua São Pedro, CEP: 34505-120, Centro Histórico, Sabará – MG.

 

Clube do Chopp – (31) 3063-1134 / 9462-0962

Rua Luiz Cassiano, 22, Centro Histórico, Sabará – MG.

 

Restaurante Solar Corte Real – (31) 3671-3040

Rua São Francisco, 345, Centro Histórico, Sabará – MG.

 

CÊ-QUI-SABE Restaurante e Pizzaria – (31) 3671-2906 / 3671-4075

Rua Mestre Caetano, 56, Centro Histórico, Sabará – MG.

 

 

- Distrito de Pompéu

 

Restaurante Moinho D’agua – (31) 3671-6150 / 3671-6184

Rua José Vaz Pedroza, 192, Pompéu, Sabará – MG.

 

Restaurante Alambique e Armazém Jotapê – (31) 3671-6250 / 3671-2445.

Rua José Vaz Pedroza, 367, Pompéu, Sabará – MG.

 

 

- Bairro Adelmolândia

 

Rancho do Tropeiro Restaurante – (31) 3671-3241 / (31) 9970-1854.

Parque Ecopedagógico Quinta dos Cristais.

Rua Gavião, 01, Adelmolândia, Zona Rural, Sabará – MG.

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

 

- Distrito de Ravena

 

Bar e Restaurante Casa Miro – (31) 3672-3247.

Praça Nossa Senhora da Assunção, 185, Ravena, Sabará – MG.

 

 

- Bairrof Roça Grande

 

Aconchego da Roça Restaurante – (31) 3674-6027.

Rua São Marcos, 65, Roça Grande, Sabará – MG.

 

 

Manga no Côco Bar e Restaurante – (31) 3674-8188 / (31) 8855-6484.

Rodovia MGT262, Km 12, Roça Grande, Sabará – MG.

 

 

Sites

www.sabara.mg.gov.br

www.cidadeshistoricasdeminas.com.br

www.descubraminas.com.br

www.estradareal.org.br

www.idasbrasil.com.br

www.iphan.gov.br

www.iepha.mg.gov.br

http://www.circuitodouro.blogspot.com.br

 

 

Solar do Padre Correia (Rua Dom Pedro II, antiga rua direita)

Construção imponente de 1773, do rico e influente Padre José Correia da Silva, possui sala-capela interna com talha da terceira fase do barroco mineiros, escadaria trabalhada em jacarandá, painéis decorativos nos salões do piso inferior e pátio interno em estilo de fazenda. Atualmente funciona como as instalações da Prefeitura Municipal de Sabará.

 

Funcionamento: Diário, das 08h às 17h.

Fechamento para almoço das 12h às 13h.

Taxa de visitação: Isento.

 

 

Telefones úteis

DDD – 31

CAT (Centro de Atendimento ao Turista) – 3671-1403

Polícia Militar (190) – 3674-2903

Corpo de Bombeiros (193) – 3672-7749

Guarda Municipal – 3671-1649

UPA 24h – 3508-1962

Santa Casa de Misericórdia – 3671-5441

Hospital Cristiano Machado – 3671-5177

Ponto de táxi Praça - Melo Viana – 3671-1966

Ponto de táxi – Praça Santa Rita – 3671-1318

 

 

Veja Também

Sede e Centro Histórico:

• Chafariz do Rosário (1752), Praça Melo Viana;

• Igreja N.Sra. das Mercês (primeira metade do séc. XVIII), Rua da Intendência;

• Capela de N.Sra. do Pilar (construída por volta de 1761), Terra Santa;

• Capela de N.Sra. da Soledade (início do séc. XVIII), Morro da Soledade;

• Capela Senhor Bom Jesus (séc. XIX), Morro da Cruz;

• Capela N.Sra. do Bom Despacho (séc. XVIII), Rua do Kaquende;

• Chafariz do Corte Real (séc. XIX), Praça Bueno Brandão;

• Hospício da Terra Santa (1761), Terra Santa;

• Igreja de Santo Antonio (Santuário, séc. XX), Roça Grande;

• Passos das ruas do Carmo e Marquês de Sapucaí;

• Mercado Municipal de Sabará.